Thelma Tschope Nutricionista CRN 25654
Marque sua consulta

(11)3768-0123
(11)99100-9661

Evden eve nakliyat platformu istanbul izmir van ve civarinda nakliye firmalari icin dogru yerdesiniz. Firmalarin listesi icin lutfen ziyaret ediniz. van nakliyat firmalari evden eve nakliye

Brasileiro toma mais emagrecedores que seus vizinhos latinos

Postado em Notícias

DA BBC BRASIL

Os brasileiros tomam mais remédios para emagrecer do que qualquer país latino-americano.

O estudo, da empresa especializada em pesquisa de consumo Nielsen Holding, mostra que 12% dos brasileiros usam emagrecedores. A média de consumo na América Latina é de 8%, com Venezuela e Peru registrando apenas 4% que usam esse tipo de medicamento.

Os brasileiros também são os mais insatisfeitos com a silhueta. Cerca de 43% se consideram “um pouco acima do peso” e 16% “acima do peso”. Apenas 30% se disseram satisfeitos.

A insatisfação dos brasileiros está acima da média mundial: 35% se acham “um pouco acima do peso”.

Os chilenos também se destacam como os que se consideram “muito acima do peso”, com 8%. Entre os brasileiros, 3% se enquadram nesses perfil.

COLOMBIANOS SATISFEITOS

Os colombianos, por outro lado, são os mais felizes com a aparência: 44% consideram o seu peso satisfatório e 38% dizem estar um “pouco acima do peso”. A média de satisfação na América Latina é de 37%.

O estudo indica ainda que 50% dos brasileiros tentam atualmente perder peso de alguma forma.

Desses, 76% apelam para a mudança na dieta e 64% dizem estar fazendo exercícios.

Os mexicanos são os que mais buscam estar em forma, com 60% que tentam perder peso. Desses, 66% fazem exercícios físicos –os recordistas no quesito na região.

Os que menos se exercitam são os peruanos, com apenas 49%, entre os que que buscam perder peso.

DÚVIDAS SOBRE EMBALAGENS

O estudo afirma também que 52% dos latino-americanos não entendem “nada” ou “apenas parte” das informações nutricionais contidas nas embalagens dos alimentos.

Os latino-americanos (64%) são os que mais defendem a inclusão de informações calóricas nas embalagens, contra 53% dos europeus e apenas 28% dos africanos e árabes.

A pesquisa da Nielsen Holding ouviu 25 mil pessoas por meio da internet.

Escrever uma resposta ou comentário

Subscribe!

Vá para o Topo