Thelma Tschope Nutricionista CRN 25654
Marque sua consulta

(11)3768-0123
(11)99100-9661

Tempero caseiro

Uma refeição bem temperada é pra lá de bom! Porém, é bem trabalhoso cortar cebola, descascar alho, etc. Eu gosto de comida bem temperada e depois que vim morar em Minas aprendi a gostar de pimenta, que confesso detestava. Agora gosto de uma pimentinha na medida certa. Já li que o envelhecimento (rsrsrs) pode alterar o paladar, mas isso não foi definitivamente comprovado (ufa!). Acho que por isso que passei a gostar de algumas coisas que não gostava antes. Brincadeira a parte a verdade é que quando nos dispomos a experimentar um alimento aprendemos a gostar dele.

Creio que a maioria das pessoas gosta de comida bem temperada e saborosa. Existem muitos temperos que podemos usar.

Alguns temperos

AÇAFRÃO: Existem dois tipos:
1.    O bem nosso, o gengibre dourado – uma raiz de gosto forte, muito popular em Minas Gerais, usada depois de seca e moída; em São Paulo não é fácil encontrar em pó, mas vale a pena procurar; com açafrão o arroz e a galinha ficam não só uma delícia, como de um colorido lindo.
2.    O outro tipo é ingrediente indispensável na “paella” (à espanhola), em risotos e sopas. Na Itália e França se usa muito também. Trata-se do pólen de lírios, que tem de ser colhido à noite, antes que as abelhas e passarinhos levem embora. É um pozinho amarelo. Só a dificuldade de colher e a quantidade de flores para produzir já fazem dele o próprio requinte na cozinha.
Principais utilizações: Sopa de peixe ou frango, Na coloração do arroz e do risoto, Paella e Vitela, Bacalhau a espanhola e Bolos

CHEIRO VERDE: É uma popular mistura de salsa com cebolinha, ambas desidratadas. Muito utilizado em cozidos, no arroz, massas e patês.

COENTRO: Da família dos cheiros-verdes, parente da salsa, com sabor e perfume bem mais estimulantes. A folha é indicada para pratos de peixe e frutos do mar, principalmente no Norte. A semente moída, esfregada em carne de porco ou frango, antes de assar, é sensacional; bom também para molho de carnes. Tem um leve sabor de limão. Use-o em ensopados e vinha d’alhos. Era usado pelos antigos romanos em “poções de amor”. Não confundir com folha de coentro, que apesar de vir da mesma planta seu sabor é diferente.
Principais utilizações: Pickles e conservas, Sopas de lentilha, legumes, feijão, ervilha, Torta de cenoura, Frango grelhado, assado de carneiro e porco, Peixe grelhado e marinadas, Molhos para carnes, Pão de gengibre e torta de maçã.

LOURO: Outra folha essencial para a vinha d’alhos. Extremamente aromática, deve ser usada com cuidados. Há quem goste no feijão e algumas verduras. Vai bem em molhos (de tomate, inclusive), assados, ensopados e conservas.

Cebola e alho são os meus preferidos, não sei cozinhar sem eles. Só que com a correria do dia a dia as vezes nem temos tempo de descascar, picar, etc. Então acabamos usando tempero comprado pronto. Eu particularmente não gosto muito, pois todos eles têm muito sal e se queremos um pouquinho mais de sabor corremos o risco de salgar demais os alimentos. Por isso faço o seguinte:

Meu tempero caseiro
Ingredientes
3 cebolas grandes,
4 dentes de alho,
3 colheres de sopa de sal
1 folha de louro grande (opcional)
Bato tudo no liquidificador com um pouco de óleo, guardo em um vidro bem tampado dentro da geladeira, esta quantidade dura mais ou menos uma semana. Depois de alguns dias o tempero fica mais verde, mas isso não altera o sabor. O ideal é fazer o suficiente para ser consumido em uma semana. Uso uma a duas colheres de sopa para temperar.
Isso facilita muito na hora de cozinhar e a comida fica bem saborosa.

Dica: Para tirar o cheiro de cebola do liquidificador, coloque pó de café misturado a água e deixe de molho por uma hora. Pode ser o que sobrou no coador.
Bom apetite!

Fonte: Casas Pedro produtos alimentícios

Poderá gostar:

Conheça as propriedades nutricionais da quinoa

Chá para queimar calorias

Escrever uma resposta ou comentário

Subscribe!

Vá para o Topo